Estado

Outono: HDT alerta para o aumento das doenças infecciosas

O outono chegou há pouco mais de um mês e trouxe com ele aquela que é uma de suas principais características: a queda de temperatura. Neste período mais frio e geralmente acompanhado pela baixa umidade do ar, as pessoas tendem a ficar mais aglomeradas em ambientes fechados, intensificando complicações de saúde como doenças infecciosas, transmitidas por vírus e bactérias. Gripe, resfriado, faringite, sinusite, rinite e pneumonia são as patologias que mais aparecem nesta época do ano.

O sistema imunológico se torna mais frágil, pois o corpo precisa se adaptar às temperaturas baixas, gastando assim mais energia e facilitando o aumento das doenças. As infecções respiratórias, principalmente a gripe e o resfriado, são as que mais acometem a população e costumam ser confundidas.

O infectologista do Hospital de Doenças Tropicais dr Anuar Auad (HDT), Alexandre Costa, esclarece que a gripe é causada pelo vírus influenza, podendo acarretar em casos leves ou mais graves, já o resfriado é provocado por outros vírus. “Os sintomas da gripe, apesar de parecidos com os do resfriado, são mais abundantes e duram por mais tempo, entre quatro a sete dias. Estão entre eles a tosse, dor no corpo, dor de garganta, congestão nasal e coriza. A febre costuma aparecer apenas na gripe, sendo o sintoma mais relevante e que pode durar cerca de três dias ou mais”, esclarece.

A gripe e o resfriado diminuem a imunidade, deixando o organismo mais debilitado, podendo facilitar o aparecimento de doenças bacterianas. A pneumonia é a maior preocupação de agravo. Se trata de um processo inflamatório e infeccioso pulmonar, no qual a gravidade depende do agente etiológico (bactéria ou fungos) e ainda de outros fatores, como a idade, a comorbidade (associações de duas ou mais doenças que se manifestam simultaneamente) e o tipo de exposição do indivíduo.

Prevenção

O infectologista alerta que “para se prevenir dessas patologias nesta época do ano é preciso tomar alguns cuidados como evitar lugares aglomerados e/ou fechados, fazer exercícios físicos, realizar a higienização das mãos rotineiramente, além de estar em dia com a vacinação da gripe”. Vale lembrar que a imunização contra a gripe pela rede pública teve início no último dia 10 de abril e segue até 31 de maio deste ano.

Ainda de acordo com o médico, para aqueles que não conseguirem prevenir e contraírem as infecções virais, o indicado é repousar, ingerir bastante líquido e se alimentar bem. Também é importante ficar atento aos sintomas e procurar atendimento médico caso necessário.

Related Articles