Estado

“Não existe investimento em turismo sem segurança pública”, frisa Caiado na abertura do Conotel 2019

Governador destacou que, em 61 edições, é a primeira vez que Goiânia sedia um dos principais eventos da área de hotelaria. Ressaltou a importância das parcerias com entidades como o Sistema S e voltou a destacar o potencial do Estado para a área, bem como a hospitalidade do povo goiano

O governador Ronaldo Caiado participou na tarde de quarta-feira (8/5) da abertura do Conotel 2019, maior congresso do setor de hospitalidade do País, promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), a mais antiga entidade da área de turismo do País, com 81 anos de atuação. “Goiânia recebe o 61º Congresso Nacional de Hotelaria, que finalmente acontece em meu Estado pela primeira vez”, alegrou-se o governador. Com a presença do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o evento reúne, até sexta-feira (10/05), agentes de todo o trade turístico para discussões técnicas, legislativas e jurídicas, buscando soluções para questões dos mais diversos ramos da hotelaria e turismo.
Ao fazer um balanço sobre a importância do turismo para o desenvolvimento regional no Estado e o fortalecimento da cadeia produtiva, Caiado apontou a segurança pública como a principal contribuição que o Estado pode oferecer ao segmento. “Aquilo que eles exigem, hoje, só Goiás pode dar: não existe investimento sem segurança pública. Não é só estimular a parte do turismo em si, mas dar condição para que o Estado seja um guardião da segurança, com políticas públicas para atender a população. Ao chegar ao governo, encontrei um dos maiores índices de tráfico, de sequestros, assassinatos, latrocínios. Em pouco mais de três meses, posso garantir a todos vocês: temos hoje a melhor polícia e a melhor segurança pública do País”, enfatizou o governador.
O governador também destacou que leva em consideração o papel das parcerias desde o momento em que elaborou seu plano de governo, especialmente com o Sistema S. “Sempre soube que para governar, é preciso recorrer a quem tem conhecimento, eficiência, profissionalismo. Imediatamente busquei o Sistema S para estar comigo na gestão, não apenas no turismo, mas também na educação, saúde e área social”, pontuou.
A exemplo do que fez durante a recepção aos jornalistas que participaram da press trip promovida pela Abih Goiás, Caiado enumerou as várias cidades turísticas de Goiás e ressaltou a hospitalidade goiana. “Somos um povo que recebe todos os Estados da federação com um acolhimento especial. Temos a porta aberta para receber as pessoas. Tive o prazer de receber ontem à noite todo o pessoal da imprensa que faz essa cobertura do turismo no Brasil, no Palácio das Esmeraldas, e foi uma honra enorme”, disse.
Retomando as ponderações que apresentou durante a participação, pela manhã, na 98ª reunião ordinária do Fórum Nacional de Dirigentes do Turismo (Fornatur), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, frisou a importância da integração entre a pasta e os estados, bem como a adoção da verba descentralizada. “Visamos elaborar políticas públicas integradas que realmente façam a diferença. São os secretários, a gestão dos estados, que conhecem suas realidades, limitações e vocações. Herdamos o ministério agora com um orçamento muito curto, mas estamos batalhando para ampliar os recursos e, nos próximos anos, voltarmos com a política das verbas descentralizadas, que já alcançou sucesso muito grande no passado, com projetos muito bem desenvolvidos.”
O ministro destacou que, após uma fase conturbada no País, com impeachment e cassações, abre-se um novo ciclo econômico e político nacional, trazendo ao setor turístico perspectivas otimistas. “Com o comando do presidente Bolsonaro e ministro Paulo Guedes, sob o modelo liberal de gestão econômica, o turismo já avançou em pautas importantes. Vamos também promover um grade ‘revogaço’ para melhorar o ambiente de negócios no Brasil”. Marcelo contou que está em conversas constantes tanto com o presidente da Goiás Turismo, para desenvolver os melhores projetos para o Estado, bem como o governador. “Sou um admirador pessoal do Ronaldo Caiado e ele tem uma ótima relação com o presidente Bolsonaro. Nossa relação está começando agora, mas queremos iniciar essa aproximação e colocar Goiás no centro das ações de promoção do turismo nacional e também internacional”, afirmou.
Consolidada esfera de debates e reivindicações sobre o desenvolvimento e o futuro do mercado de hospedagem, o Conotel 2019 promoveu uma extensa programação no Centro de Convenções de Goiânia, tendo como tema “Tendências e Inovações no Segmento Hoteleiro”. “Serão apresentadas novidades tecnológicas para promover melhores experiências aos hóspedes. Design diferenciado e áreas comuns integradas e soluções inovadoras, como concierge eletrônico, uso de celular para destravar apartamentos e o o aplicativos e sites para reserva de hospedagem, bem como uso cada vez mais amplo do marketing digital, serão cada vez mais comuns”, contou Vanessa Pires, presidente da Abih Goiás.
Simultaneamente ocorre a Equipotel Regional, maior vitrine de produtos e soluções para o mercado de hospitalidade latino-americano, com a expectativa de atrair 3 mil pessoas de todo o Brasil. De acordo com o presidente da ABIH nacional, Manoel Cardoso Linhares, a realização do Conotel e da Equipotel em Goiânia é parte das ações da entidade que visam fortalecer o setor de hospitalidade em todo o País. “Nós nos esforçamos para promover a união dos interessados na sustentação do turismo como um dos pilares do desenvolvimento econômico e social do Brasil. O nosso potencial de crescimento é imenso, basta haver a união dos interessados. Os hoteleiros serão recebidos com grande hospitalidade pelo Estado de Goiás”, comentou.
98ª Fornatur
Descentralização da verba para promoção nacional e internacional, criação da área de Inteligência de Mercado, liberação de cassinos com legislação específica e número limitado por estados, participação integrada dos Estados em feiras e eventos, formatação de um modelo de segurança com as Zonas de Interesse Turístico e a integração de políticas públicas entre a União e os Estados. Esses foram alguns dos temas debatidos na 98ª reunião ordinária do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), promovido pela primeira em Goiânia. Realizado nesta quarta-feira (8/5), o Fórum contou com a presença de 21 secretários e dirigentes estaduais do turismo de todo o Brasil.
O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, anfitrião da reunião, destacou a importância de uma política pública efetiva para o segmento turístico em Goiás. “Somos uma região integrada com o Centro-Oeste, pelo Consórcio Brasil Central. E, de acordo com o governador Ronaldo Caiado, que nos dá total liberdade de trabalho, vamos priorizar o desenvolvimento regional do Estado. Temos 10 regiões belíssimas, com potenciais de todas as formas possíveis e um mosaico de belezas. Infelizmente, nos últimos anos, foram priorizadas outras áreas econômicas. Precisamos apostar no turismo para levar oportunidade de desenvolvimento para todo Estado. Nosso papel como parte do poder público é apoiar e ajudar as pessoas desta área a empreender”, afirmou.
Fabrício destacou que a principal demanda do Estado é a questão aérea. “Nosso aeroporto ainda tem uma a logística complicada para receber turistas do Brasil todo, mais ainda do exterior. O nosso processo de internacionalização encontra-se na Anac [Agência Nacional de Aviação Civil]”, explica. A expectativa, segundo ele, é que no segundo semestre, já seja possível fechar um vôo internacional para Goiânia. “Isso é importante, pois cada vôo internacional corresponde a 10 domésticos.”
Modelo de agência
O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Leônidas Oliveira, apresentou o que chama de “Nova Embratur”, que será transformada em uma agência de promoção internacional do turismo. “As agências, em geral, têm se mostrado mais eficientes que o modelo de gestão de autarquia, com mais flexibilidade para parcerias com o mercado, parcerias internacionais e, sobretudo, o incremento de orçamento. Isso permite receber dividendos de doações e de parcerias público-privados, além do recurso vinculado”, detalhou.
O atual presidente do Fornatur, Hugo Paiva, lembrou que essas medidas são urgentes porque o Brasil assiste “de camarote” países como Peru e Argentina terem desempenho mais expressivo no setor, mesmo tendo recentemente sediado grandes eventos, como as Olimpíadas, as Copas do Mundo e das Confederações. “Convidamos o ministro e o presidente da Embratur, aproveitando a realização do Conotel em Goiânia, para tratar de temas que são travamentos na atividade turística nacional, como a malha aérea, liberação dos cassinos e dos parques nacionais. Um em cada cinco empregos gerados no mundo, no mínimo, são oriundo do setor, segundo a Organização Mundial do Turismo. Neste momento de crise econômica, como é o caso de Goiás, o turismo é a resposta mais rápida para esse problema, com a geração de emprego e renda”, apontou.

Related Articles