Anápolis

Festival levou encantos e reflexões sobre a dança em Anápolis

O 14º Edança proporcionou formação, experiência e visibilidade para grupos locais

Foram quatro dias de cores, movimento, energia e reflexão sobre o desafio dos palcos e salas de aula. O 14º Festival de Dança de Anápolis (EDança) marcou essa semana com apresentações, oficinas, palestra e fórum setorial. O evento é da Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Semuc), e curadoria da Escola de Dança de Anápolis (EDA).
Após a palestra de abertura e a aula de zumba no Parque Ipiranga, no dia 22, foi a vez do palco do Teatro Municipal nos dias 23 e 24 receber as atrações da programação do evento. Estiveram presentes as academias Elza Cavalcante, Plié Studio, Studio de Dança Raquel Cristina, Dança do Sesc Anápolis, Resistência Ativa Gangz, Associação Cultural Motriz (Casa do Hip Hop) e uma participação especial da APAE Anápolis. Alunos e professores da EDA e do projeto “Cultura em Ação”, da Semuc, também apresentaram.
Os dois dias de espetáculos foram lotados no Teatro Municipal, onde os grupos convidados se apresentaram em coreografias curtas. “Em Anápolis, precisamos de eventos como este, esta energia com o público nós carregamos para toda vida”, a bailarina Milena Fernanda, de 13 anos. Para os bailarinos e bailarinas a oportunidade de se apresentar com outros grupos é uma forma de aprendizado também, quando observam as técnicas e desenvoltura nas outras coreografias.
Uma parte dessa plateia foi formada dos pais e familiares dos estudantes da Dança, apoio que é fundamental para o início e a continuidade no desenvolvimento artístico. “A apresentação foi maravilhosa, estamos sondando uma academia para que possamos investir no que minha filha mais gosta, que é a dança”, o analista de recursos humanos, Fábio Alves, pai da estudante Fábia Gabriele.
Pedagogia
Entre as academias convidadas, esteve a Companhia DEA de Dança de São Paulo (SP), que ministrou oficinas de jazz, ballet e contemporâneo, além de uma palestra sobre “Didática e Ética na Dança”, com a diretora Andrea Sposito. Os bailarinos profissionais Aline Padovan, Bruna Tostes, Danilo Castorino, Júlia Lieberich e Sabrine Saraiva, entraram em cena com o espetáculo “Três As”.
O evento foi finalizado no final da tarde de quinta-feira, 25, com um Fórum Setorial para avaliar a última edição do Fundo Municipal de Cultura (FMC) e dar sugestões para a próxima edição. O último edital do FMC, em 2018, disponibilizou o montante de R$ 30 mil para contemplar projetos de espetáculo ou formação. “Esperamos que os grupos anapolinos tenham saído deste evento com novas ideias e horizontes no setor da dança, seja no cenário nacional como a nível internacional”, destaca a secretária municipal de Cultura, Eva Cordeiro.

Related Articles