Estado

FCO aprova mais de R$ 50 milhões para investimentos em Goiás

A aprovação das Cartas Consultas aconteceu durante a realização da 326ª reunião ordinária e cartas consultas de empresariais e rurais de 14 municípios foram contempladas

Na sessão da 326ª Reunião Ordinária do Conselho Consultivo e pela Câmara Deliberativa do FCO, aberta pelo secretário de Indústria, Comércio e Serviços Wilder Morais, na quinta-feira, 28, foram aprovadas 21 cartas consultas de projetos que vão gerar 482 empregos diretos. Diversas atividades econômicas serão beneficiadas nos municípios, como o comércio, indústria, empresas de todos os portes, hotelaria e turismo, pecuária de corte, agricultura, bovinocultura de corte são setores que os recursos aprovados pelo FCO vão contemplar.
O Conselho de Desenvolvimento do Estado e o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (CDE/FCO) aprovaram recursos de R$ 52.196.274,80 milhões para investimentos pelos Programas Empresarial e Rural nos municípios de Jataí, Itapuranga, Vianópolis, Porangatu, Caçu, Edealina, Palmeiras de Goiás, Silvania, Rio Verde, Nova Crixás, São Luiz dos Montes Belos, Vicentinópolis, Rio Verde e Aparecida de Goiânia.
Durante a reunião, todos os integrantes do conselho analisaram minunciosamente o projeto apresentado nas cartas consultas protocoladas pelas empresas. Foram observados o tipo de programa, atividade desempenhada, itens a financiar e empregos gerados diretamente. “A palavra emprego tem que estar muito voltada para o FCO, essa tem que ser a missão de cada um dos conselheiros”, disse Wilder.
FCO
 
Durante uma reunião que aconteceu na última quarta-feira, o governador Ronaldo Caiado, ao lado dos secretários de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Wilder Morais, e de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), Adriano Rocha Lima, teve acesso ao histórico de aplicação do FCO em Goiás nos últimos dois anos.
A meta estabelecida por Caiado é, a partir de 2019, focar na aprovação de Cartas Consultas de empresas que estão, ou pretendem, se instalar em áreas menos desenvolvidas do Estado. Um exemplo são as regiões Norte e Nordeste goianas. A própria regulamentação do FCO, traz uma determinação de que pelo menos 12% do valor total do fundo sejam aplicados nas regiões Nordeste e Oeste.
Wilder Morais lembrou que a previsão orçamentária para este ano destinará cerca de R$ 3 bilhões para Goiás. Na reunião desta tarde, explicou, foram definidas as metas de investimento. “Vamos incentivar o micro, pequeno, médio, o grande empresário e também o produtor rural, para que possam ter esse recurso à disposição. Isso ajuda a desenvolver nossa economia”, destacou o titular da SIC.
O FCO é um fundo de crédito destinado à região Centro-Oeste do país. Atualmente Goiás possui parcela de 33% do total. O restante é dividido da seguinte forma: 33% para o Mato Grosso, 24% para o Mato Grosso do Sul e 10% para o Distrito Federal. A previsão orçamentária para este ano é de R$ 7.031.694.949.

Related Articles