Anápolis

Diferença de preço do pescado chega a 91,6%

Procon Anápolis divulga pesquisa feita em supermercados e peixarias

Com a chegada das comemorações da Semana Santa, a tendência é de aumento da demanda por pescados. Por isso, a Prefeitura de Anápolis, por meio de sua Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor (Procon Anápolis), realizou pesquisa de preços de 22 tipos de peixes e crustáceos mais procurados, em 14 estabelecimentos comerciais da cidade — sete peixarias e sete supermercados. Para acessar pesquisa completa clique a seguir: supermercados e peixarias.

Neste ano, a maior variação entre os supermercados é de 91,6%, referente ao filé de salmão, que pode ser encontrado desde R$ 69,90 até R$ 133,98 o quilo. Seguido dos itens bacalhau e sardinha, que registram diferença de até R$ 27,90 e R$ 14 de um supermercado para outro, respectivamente.

O salmão também ocupa o primeiro lugar no ranking anual de aumento de preço, da ordem de 47%, no ano anterior o valor médio do quilo era de R$ 69.45, hoje a média fica em R$ 101,94. Em segundo lugar, o filé de merluza registrou incremento de 35%, no ano, passando da média de R$ 24,74, em 2018, para R$ 33,29, em 2019. Nos supermercados, a opção mais em conta para o consumidor que vai comprar carne branca é a caranha, R$ 8,90 o quilo.

Já nas peixarias, o piau é a alternativa mais barata entre os produtos pesquisados, sai a R$ 9 o quilo. Ocupando primeiro lugar na lista de maior variação de preço nestes estabelecimentos, o quilo do camarão rosa GG pode custar até R$ 65 a mais. Além dos de tamanho M e G, que registram diferença de preço de até R$ 61 o quilo. O bacalhau tipo Saithe também entra para a lista, chegando a R$ 36 a diferença de preço do quilo de uma peixaria para outra. O recorde de aumento, no comparativo entre o ano anterior e este, é do lambari, 43%.

O objetivo da pesquisa é estabelecer comparativos e informar os cidadãos para melhor tomada de decisão na hora de fazer as compras. Considerando os itens mais populares para esta época do ano, as peixarias oferecem preços mais competitivos, confira abaixo.

Peixaria

(menor valor pesquisado)

Supermercado

(menor valor pesquisado)

Filé de Salmão (kg) R$ 55,00 R$ 69,90
Bacalhau do Porto (kg) R$ 55,00 R$ 70,00
Filé de Merluza (kg) R$ 18,00 R$ 22,59

O Proncon Anápolis disponibiliza uma série de orientações para ajudar o consumidor a avaliar a qualidade dos produtos na hora da compra. As principais preocupações devem ser em relação às condições de armazenamento e higiene do produto.

No supermercado, o pescado deve estar exposto em balcão frigorífico; na feira, envolto em gelo picado, sempre protegido do sol e de insetos. O peixe congelado e vendido em embalagens não pode estar em balcão superlotado, pois impede a circulação de ar refrigerado e compromete a conservação. É necessário verificar se o produto tem selos de inspeção, data de acondicionamento e prazo de validade. Os produtos congelados devem estar sempre a temperaturas inferiores a -18ºC e os resfriados abaixo de 0ºC. O consumidor pode checar se há presença de água ou piso úmido próximo ao freezer, pois pode ser um indicativo de que o balcão foi desligado ou teve a temperatura reduzida, o que prejudica a qualidade do pescado.

A aparência do pescado também deve ser verificada. Pressione os dedos para constatar a firmeza da barriga do peixe e veja se os olhos estão brilhantes e salientes. Também é preciso checar se as guelras estão vermelhas e se as escamas estão presas ao corpo. O bacalhau e outros peixes secos não devem apresentar manchas vermelhas ou pintas pretas no dorso, nem umidade, o que pode indicar presença de bactérias. Observe o sal grosso se desprendendo, significa que o bacalhau não está úmido, pois se estivesse a umidade “sugaria” o sal. Se o consumidor optar pelos enlatados, deve recusar latas amassadas e estufadas.

Depois de descongelado, recomenda-se o preparo e consumo imediato do peixe. No caso do camarão, eles devem ser firmes e com a carapaça presa ao corpo. O odor deve ser característico do produto, sem ser forte demais. No caso de lulas e polvos, a orientação é para o consumidor adquirir os de cores mais claras, pois são os mais frescos.

No caso do peixe fresco em pedaços (postas e filés), observar a textura, que deve ser firme, sem ressecamento ou descoloração. Tratando-se de pescado congelado, verifique a procedência e a data de validade; Crustáceos (camarões, lagostas, siris, caranguejos, etc), devem ter um aspecto geral brilhante e úmido, corpo com curvatura natural, carapaça bem aderida ao corpo, cheiro próprio e suave, coloração própria da espécie. Moluscos (polvos e lulas) devem estar com a pele fina e úmida, carnes consistentes e elásticas, com cheiro próprio.

O feirante ou vendedor deve usar luvas e avental ao manusear o produto. Fique atento ao uso de toldos vermelhos nas barraquinhas das feiras: eles podem “maquiar” a cor do peixe. O consumidor deve estar atento, pois os comerciantes são obrigados a cumprir as ofertas apresentadas em anúncios ou folhetos publicitários. Na hora de registrar a compra, observe se o preço equivale à oferta divulgada e faça valer os seus direitos.

Se sentiu prejudicado? Denuncie!

O consumidor que se sentir prejudicado, deve buscar atendimento junto ao Procon Anápolis, ou entrar em contato pelo telefone 151. Lembre-se de levar os documentos pessoais, comprovante de endereço além dos documentos pertinentes que comprovem a reclamação, cidadãos devem comparecer em algum dos locais de atendimento:

Procon – sede

End: Rua Estrela do Sul esquina com a Av. Belo Horizonte, Vila Jussara (próximo ao Hospital Municipal)
Fone: (62) 3902-1365 Fax: (62) 3902-2028

Rápido – Anashopping

End: Av. Universitária nº 2.221, Vila Santa Isabel
Fone: (62) 3316-4599

Rápido – Jaiara

End: Av. Fernando Costa, 20, Vila Jaiara
Fone: (62) 3902-1063 e (62) 3902-2739

E-mail
procon@anapolis.go.gov.br

Close