Estado

Caiado: “Em seis meses, Secretaria de Agricultura atendeu não só o setor rural, mas a população de Goiás como um todo”

Em apoio ao campo, o governador lançou ainda o Serviço de Atendimento ao Produtor Goiano e foi assinada uma parceria com a OVG, que passa a operar o Banco de Alimentos da Ceasa, entre outras ações

Mais de R$ 195 milhões em convênios, termos de cooperação e contratos de repasse; entrega de 306 máquinas para 193 prefeituras – somando R$ 113 milhões; aprovação de mais de R$ 800 milhões do Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) Rural; retomada de projetos de irrigação abandonados; criação da Câmara Temática de Estratégia, Competitividade e Políticas Públicas do Agronegócio do Estado de Goiás: O Agro é de Todos, com 46 entidades. Estas foram algumas das realizações da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) em seis meses de gestão. O balanço da pasta foi apresentado pelo governador Ronaldo Caiado e pelo secretário Antônio Carlos de Souza Lima Neto na última terça-feira, dia 09.

“Os resultados foram estampados e convalidados com dados. A Secretaria de Agricultura mostrou que, com ações concretas, em seis meses atendeu não só o setor rural, mas a população de Goiás como um todo, com reflexos em todas as áreas – social, pesquisa, incentivo à produção de qualidade no Estado, promoção do respeito às nossas bacias hidrográficas, meio ambiente, desenvolvendo um trabalho junto também ao Sistema S na área de Educação e da Saúde”, afirmou Caiado, atribuindo os avanços à criatividade, dedicação e certeza de que o Estado mudou o jeito de governar. “Vamos arregaçar as mangas e mostrar que os órgãos do Estado servem apenas para beneficiar o cidadão”, garantiu o governador.

A própria recriação da Secretaria foi uma virada significativa. Ronaldo Caiado lembrou que, nas gestões anteriores, a pasta estava diluída em outras secretarias. “Era uma anomalia. Impediram o setor mais eficiente, responsável pela maior receita do seu Estado e com maior oferta de emprego, de ter uma secretaria específica. Era uma total inversão de valores”, ressaltou.

O secretário Antônio Carlos afirmou que a reestruturação está permitindo resgatar bons projetos para o desenvolvimento do Estado e, acima de tudo, de um setor que gera riqueza, empregos e desenvolvimento. “É uma Secretaria que representa diretamente o interesse do setor agropecuário, fortalecendo todas as iniciativas e que tem trabalhado em conjunto com todas as nossas jurisdicionadas, a Agrodefesa, a Emater e o Ceasa”, enumerou. De olho no futuro, o secretário vê a continuidade efetiva das ações como o principal desafio. “É seguir desenvolvendo esse setor, dando a oportunidade ao segmento produtivo de se fortalecer cada vez mais.”

Caiado também elogiou o trabalho de Antônio à frente da pasta. “Sua trajetória será brilhante e será consolidada pela maneira humilde, mas competente. É uma pessoa que está preparada para qualquer campo de debate. Ele chega dentro do Ministério da Agricultura e é ouvido. Em qualquer cenário nacional, é uma voz respeitada e passou a ser uma referência, como me foi dito pela própria ministra [da Agricultura] Tereza Cristina.”

Entregas

A solenidade desta terça-feira marcou também a entrega do Serviço de Atendimento ao Produtor Goiano, que é a padronização das regionais da Emater e Agrodefesa no Estado; a assinatura de Termo de Fomento com a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) para operação do Banco de Alimentos da Ceasa-GO; a assinatura de contrato para entrega de 212 retroescavadeiras às Prefeituras goianas por meio de contrato de repasse de patrulha mecanizada; e a assinatura de Termo de Cooperação do Programa de Aquisição de Alimentos (PPA) – Sementes, com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A primeira-dama Gracinha Caiado destacou a importância da iniciativa da OVG, lembrando que o cuidado com os mais vulneráveis é prioridade em todas as pastas do governo Caiado. “Esse setor, além de ser rico, mostrou a grande preocupação com os mais vulneráveis. O Banco de Alimentos é apenas o começo, pois a OVG tem muitos outros sonhos. Eu sou mãe e o que mais preocupa uma mãe é o que seu filho vai comer hoje. Um País como o nosso, que produz tanto, que faz grandes exportações de alimentos, não pode permitir que os nossos filhos passem fome. Essa iniciativa vem carregada de esperança e alegria, pois alimentos de qualidade, que não serviriam para comercialização e muitas vezes seriam jogados no lixo, passarão a ir para a mesa das famílias mais pobres do nosso Estado.”

Também foram disponibilizados dois veículos para a Emater para fortalecer as ações de execução, monitoramento e coordenação de atividades de assistência técnica em propriedades rurais, agroindústrias e assentamentos. E ainda facilitar as práticas de extensão rural e realização de eventos nas 12 regionais da Agência e o desenvolvimento de pesquisa agropecuária nas seis estações alocadas no interior de Goiás. Outro importante lançamento foi o aplicativo para celular Emater Mobi, que otimizará o trabalho técnico no campo, facilitando a comunicação entre técnico e produtor, a coleta de dados para pesquisas em áreas de difícil acesso, assim como a possibilidade de controle das atividades pela central em tempo real e o aumento da assertividade dos relatórios referentes à agropecuária em Goiás.

Na plateia, a produtora rural Vanderlúcia Pereira dos Santos Rodante estava na maior expectativa. Ela veio de Porangatu, representando a vizinha Edna Diniz Soares, agraciada com o título de regularização fundiária, após sete anos de espera. “Ela herdou essas terras do pai e em 2012 demos entrada nos papeis, porque até então nunca havia sido feita a titulação. Eram terras devolutas. E agora foi possível receber essa documentação”, comemorou. Vanderlúcia diz que nutre muitas esperanças pelo fato de Caiado destinar tamanha atenção ao segmento e elogiou a Patrulha Rural. “Na nossa região foi muito importante. Estávamos tendo muito roubo de gado, maquinário e o problema foi praticamente sanado”, elogiou.

Acompanharam o balanço os secretários Anderson Máximo (Casa Civil), Edival Lourenço (Cultura), Rafael Rahif (Esporte e Lazer), Marcos Cabral (Desenvolvimento Social), Adriano Rocha Lima (Desenvolvimento e Inovação), Andrea Vulcanis (Meio Ambiente), Pedro Henrique Ramos Sales (Administração), Valéria Torres (Comunicação), tenente-coronel Luiz Carlos de Alencar (Casa Militar), coronel Wellington de Urzêda Mota (Diretoria Geral de Administração Penitenciária – DGAP), Juliana Diniz Prudente (Procuradoria-Geral do Estado); os presidentes Silvio Fernandes (Ipasgo), Euclides Barbo Siqueira (Juceg), Valderli Borges (Codego), Lener Silva Jayme (Celg G&T e Celgpar), José Essado (Agrodefesa), coronel João Batista de Freitas (Ceasa), Pedro Leonardo Rezende (Emater), Alcido Wander (Embrapa Arroz e Feijão) e Adriano Marzolo (Aprosoja Goiás); o assessor estragégico Aderbal Caiado (Goinfra); a diretora-geral da OVG, Adryanna Caiado; o deputado estadual Diego Sorgatto; o reitor da UFG, Edward Madureira; o prefeito de Vila Boa, Felipe Santana; entre outros representantes do segmento agroindustrial.

O que vem pela frente

No escopo das ações previstas para breve estão a assinatura da Instrução Normativa do uso de defensivos agrícolas em Goiás (Sistema de Inteligência e Gestão Estadual de Agrotóxicos); implantação do Mercado de Flores na Ceasa para ampliação do mix de produtos no entreposto; a retomada do programa de regularização fundiária, com a entrega de 70 títulos somente neste ano (nos últimos 10 anos foram entregues apenas 18 títulos), realização do encontro “O Protagonismo do Agro em Goiás”, no dia 13 de setembro, em Goiânia; a entrega de 29,2 mil quilos de sementes por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); a entrega de 650 caixas de abelhas e equipamentos de proteção individual; e a assinatura de termo de aquisição de 284 máquinas com a Sudeco no valor de R$ 70 milhões.

Related Articles