Estado

Caiado e ministro Canuto visitam Polo de Agricultura Irrigada em Cristalina e reafirmam parceria pelo desenvolvimento sustentável

Governador e ministro Desenvolvimento Regional Canuto conferiram trabalho dos produtores rurais que fomentam o plantio responsável. Caiado anunciou ainda que Estado tem recebido apoio de prefeituras e instituições ligadas ao campo para desafogar demandas de liberação de licenças

“De maneira inteligente, esse polo poderá construir uma ação conjunta entre produtores rurais de toda a região, e vai expandir de um Estado para o outro, junto com o governo federal e também o governo municipal”, afirmou o governador Ronaldo Caiado na sexta-feira (4/7), em Cristalina. Ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o governador conferir de perto o trabalho sustentável feito pelos agricultores no Polo de Agricultura Irrigada do Planalto Central, que, além de Cristalina, engloba os municípios de Luziânia, Campo Alegre, Ipameri, São João da Aliança e Flores de Goiás.
“Vamos mostrar que podemos expandir na irrigação com responsabilidade, com dados concretos, sem comprometer em nada o volume de água que chegará ao leito dos rios e, ao mesmo tempo, dando condições para que todas as cidades sejam perfeitamente alimentadas. E os rios sobreviverão cada vez mais pujantes e mais respeitados”, comentou Caiado.
Durante entrevista coletiva, o governador também informou que a Secretaria de Meio Ambiente de Goiás (Semad) receberá reforço com objetivo de desafogar as demandas que há tempos estão à espera de análises e autorizações pelo Governo de Goiás. “Ao recebermos o Estado, havia mais de 20 mil solicitações de licenças, outorgas, para que os produtores rurais tivessem a legislação cumprida ao fazerem barragens e instalarem irrigações. Estamos recebendo apoio de mais 35 funcionários de prefeituras, que são especializados”, anunciou. O governo estadual ainda contará com a parceira de outras instituições. “Também pedimos socorro à Faeg [Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás], a OCB [Organização das Cooperativas Brasileiras] e a todos aqueles que possam auxiliar o Estado de Goiás neste momento.”
O ministro Gustavo Canuto enfatizou a disponibilidade do Governo Federal em atender às necessidades do setor produtivo e manter um canal de diálogo e novos acordos. “Com essa parceria, podemos entender e, em alguns casos, orientar de uma maneira melhor. Queremos que o setor produtivo tenha uma linha de acesso com o Governo Federal para que possamos cooperar e fazer com que os dois andem juntos e, assim, possam cada vez mais desenvolver a área de agricultura irrigada no país”, disse.
Questionado sobre a alta requisição do Estado por investimentos voltados para a agricultura e pecuária, Canuto explicou que se deve ao grande potencial de Goiás. “Tem muitos rios, uma área irrigada diferenciada, e a gente pode aproveitar esse potencial. Então, essa parceria ajuda na geração de empregos, segura o avanço de expansão de área, preserva o meio ambiente e, ao mesmo tempo, gera riqueza.”
O Polo de Agricultura Irrigada do Planalto Central foi lançado nesta quinta-feira (3/7) e a portaria deverá ser publicada no Diário Oficial na próxima semana, pela Secretaria de Desenvolvimento Regional Urbano do Ministério.
 
Responsabilidade hídrica
A inovação tecnológica presente no campo nos dias de hoje possibilita que os produtores rurais façam a gestão de irrigação e evitem desperdícios. De acordo com o gerente da Fazenda Pamplona da SLC Agrícola, Marcelo Peglow, a estação meteorológica cruza os dados da umidade do ar com as necessidades da plantação e informa o quanto precisará ser irrigado. “Temos profissionais altamente capacitados, que checam todos os dias a gestão de irrigação e confirma se o pivô precisará de água ou não, para fazer a irrigação ser eficiente com o mínimo de água possível”, salientou.
Conforme Marcelo, está entre os objetivos da empresa ser o mais econômica possível e, para isso, o valor gasto em energia para conduzir a água da barragem dos rios Samambaia e Pamplona até o pivô deve ser baixo, consequentemente será necessária pouca água para a irrigação.
O secretário de Desenvolvimento Econômico e Agronegócios de Cristalina, Alécio Maróstica, elogiou o empenho de Ronaldo Caiado junto ao Governo Federal para fomentar a produção rural e a preservação do meio ambiente em Goiás. “Quero parabenizar essa composição, porque nunca tivemos, em governos passados, uma composição em prol do Polo de Irrigação. O polo é uma necessidade. Queremos discutir o que fazer, sermos responsáveis e parar de procurar culpados.”
Segundo Alécio, existe um embate histórico entre poder público e produtores rurais, que jogam a responsabilidade um para o outro. A partir de agora, com esta parceria, ambos podem se ajudar. “Ninguém vai jogar um milímetro de água se não tiver certeza que terá resultado. Cada milímetro que vem aqui custa R$ 2. O custo da energia para trazer a água é alto”, comentou.
 
Geração de emprego e renda
O diretor de Negócios da empresa Brava Agronegócios, Edson Carlos da Silva, pontuou que a região de Cristalina tem condições favoráveis para a produção de frutas, o que estimula também a geração de emprego e renda. “Uma das ideias da fruticultura é mostrar que em pequenas áreas também se consegue retorno financeiro, com valor agregado e, com isso, aumenta o emprego, renda e qualidade de vida do produtor”, pontuou.
O Polo de Irrigação beneficiará todos os tipos de culturas, não apenas as grandes propriedades, focadas em milho e soja. “Para nós é muito importante porque não tem como fazer a fruticultura em nossa região sem irrigação. Sem a irrigação a gente não consegue produzir”, reiterou Edson Costa. Aliado a isso, observa-se que enquanto um funcionário trabalha em cada 10 hectares de algodão e soja, na fruticultura são necessários dois funcionários por cada hectare. Um dos exemplos que geram mais emprego é a plantação de alho.
Também participaram do evento o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos Neto; o deputado estadual Amilton Filho; os deputados federais Flávia Morais e José Mário; o titular da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Nelson Vieira; e o prefeito de Cristalina, Daniel Sabino Vaz.  Foto: Octacílio Queiroz

Related Articles