Estado

Balanço da campanha de vacinação contra Influenza

Cobertura em Goiás ainda é baixa e apenas 10,62% das pessoas dos grupos prioritários se vacinaram

Em sinal de alerta, a Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) divulgou na manhã de terça-feira, dia 23, o balanço dos primeiros dias da Campanha de Vacinação Contra a Influenza. A cobertura no Estado é baixa e somente 10,62% das pessoas dos grupos prioritários se vacinaram. Durante o encontro também foram apresentados os números de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Goiás, confirmando sete casos de Influenza, sendo quatro de H1N1 e  três de Influenza B. Nenhum óbito pela doença foi registrado.

Apesar de Goiás ocupar o 3º lugar no ranking dos Estados com melhor cobertura vacinal para Influenza, atrás apenas de Amazonas e Espírito Santo, os números estão distantes da meta preconizada pelo Ministério da Saúde de proteger 90% das pessoas dos grupos prioritários. Os dados mostram que a adesão dos primeiros a serem imunizados não foi efetiva e somente 21,62% das crianças maiores de 6 meses até 5 anos, 28,95% das gestantes e 34,17% das mulheres com até 45 dias após o parto se vacinaram.

Para a médica da área técnica de Influenza da SES-GO, Samanta Furtado, a baixa cobertura liga um sinal de alerta, pois as pessoas dos grupos prioritários são mais susceptíveis a complicações pela infecção pelo vírus. “Ano passado estávamos em alerta pelo número de casos. Neste ano de 2019 nossa preocupação é porque a população está procurando as vacinas pois ainda não se ouviu falar de óbito”, explicou ao mostrar que a boa cobertura atingida em 2018 pode ter contribuído para a menor quantidade de casos da doença neste ano.

Já a coordenadora de Ações em Imunizações da SES-GO, Joice Dorneles, destacou que o Ministério da Saúde já enviou cerca de 60% do quantitativo total de doses da vacina para Goiás e que a distribuição tem sido realizada aos municípios, via Regionais de Saúde. “O cenário de baixa cobertura é preocupante e por isso é preciso que as pessoas procurem uma das unidades e se imunizem. Em 2018 tivemos uma boa procura pelas doses em virtude do cenário que enfrentamos, com muitos casos da doença. A procura sendo baixa esse ano implica que no próximo, o cenário pode ser mais complexo”, pontuou.

Apesar de ser dividida em etapas, qualquer pessoa que faz parte dos grupos prioritários pode se imunizar durante a campanha. “O cronograma adotado pela Secretaria é feito para que não ocorra falta de vacinas nas unidades, visto que nos organizamos de acordo com o envio das doses pelo Ministério. Nosso objetivo também é evitar tumulto nos pontos”, explicou Joice Dorneles.

Números

Em Goiás a meta é vacinar, no mínimo, 90% de uma população total de 1.839.079. Até o momento, 10,62% deste público foi vacinado, o que corresponde a 153.687 indivíduos. Todos os grupos prioritários registram coberturas abaixo de 40% no Estado. Sobre os casos da doença, já foram notificados sete casos de Influenza, sendo quatro de H1N1 e três de Influenza B. No ano passado foram 481 casos de Influenza, sendo 389 por H1N1, com 68 óbitos.

Related Articles