Nacional

Corteva lança pacote de defensivos

Entre as principais características dos novos produtos, destacam-se a ação de choque, proteção imediata da cultura e longo período de controle das principais pragas que afetam a soja, milho, algodão, arroz, citros e hortifrúti, como percevejos, moscas-brancas, pulgões e psilídeos

Com o passar do tempo, o produtor que maneja a lavoura com grupos químicos antigos acaba ficando sem opção. Isso devido à consequente diminuição da performance dos defensivos. E o resultado são perdas financeiras. Uma das culturas mais caras, a do algodão é suscetível ao ataque de pulgões. E as pragas, quando não devidamente dizimadas, respondem por perdas de até 100% nas lavouras, um prejuízo que tira o sono do agricultor. Mas a resposta está na inovação e também na possibilidade de fazer a rotação de mecanismos de ação. Tudo isso em um único pacote tecnológico, uma molécula também única.

Foi o que a Corteva Agriscience trouxe a público, nesta quinta, 28, em Campinas, interior de São Paulo, ao anunciar três produtos formulados a partir do ativo Isoclast. Em relação à cultura do algodão, o Closer é incomparável no mercado de defensivos. Não desequilibra ácaro, senão o produtor teria que fazer o controle durante o ciclo, encarecendo a produção. O produto também é seletivo aos principais inimigos naturais da cultura, com poder de choque e residual, outra vantagem do químico.

Já para o mercado de hortifrúti, a companhia traz o Verter, um químico com diferenciado modo de ação, além de ser o mais novo inseticida que vai complementar o portfólio. A inovação da Corteva tem foco no agricultor, que vai dispor de uma ferramenta que propicie realizar a rotação de mecanismos de ação. O foco é voltado ao segmento de insetos sugadores, praga responsável por significativas perdas nas lavouras. Possibilita retardar os problemas de resistência dos invasores e que o sistema produtivo tenha longevidade.

O químico é indicado para o mercado de tomate, melão, melancia e citrus. E um ponto relevante é o rápido poder de choque que Verter possui. Muito importante no segmento de hortifrúti, atua contra insetos como mosca branca e pulgões, responsáveis por transmitir viroses extremamente severas e que podem resultar em 100% de perda da lavoura.

O pulgão, por exemplo, causa a fumagina, que os insetos excretam sobre a superfície da folha. Daí, um fungo escurece a folha e prejudica a fotossíntese, o que acarreta prejuízo de produtividade. Esse alto poder de choque ajuda a controlar rapidamente esses insetos vetores. Verter atua nos diferentes estádios dos insetos. E é também seletivo aos inimigos naturais e utilizado para o controle da mosca branca, pulgões e psilídeos.

“A gente fala de sustentabilidade do manejo. Quando o produto não funciona, é um prejuízo para o cultivo e para o agricultor. A nossa recomendação é que se faça a rotação de modos de ação. Isoclast pode e deve ser rotacionado com outros produtos para que a gente evite a resistência de insetos”, lembra a pesquisadora Cristiane Müller, líder de pesquisa de inseticidas Corteva para a América Latina.

Com diferente modo de ação, o novo grupo químico (Sulfoxaminas) é um produto sistêmico, que transloca na planta. Uma vez absorvido, não fica exposto no ambiente. “Degrada muito rapidamente, em questão de horas, no ambiente. Justamente por ser sistêmico e seletivo a várias pragas mastigadoras.”

Ao apresentar os químicos, diz Cristiane, a companhia disponibiliza uma solução para o mercado, no qual o produtor não tem muitas alternativas. Após o testes, ficou comprovado que o produto age uniformemente, independentemente da região do País onde vier a ser utilizado (para efeito de estudos, o Brasil foi dividido em quatro grandes regiões). “É uma tecnologia esperada, com perfil toxicológico favorável e que se encaixa no manejo do produtor, sempre pensando em manter nosso ambiente preservado e com produtividade”, diz a pesquisadora.

Isoclast só não pode ser explorado para tratamento de sementes. Por ser um produto com degradação e baixíssima persistência no ambiente, hoje com as formulações disponíveis não é possível tratar sementes pelo perfil do produto. A molécula é um ingrediente ativo mundialmente exclusivo da Corteva Agriscience.

Indicações

Os produtos atuam em pragas resistentes a outras soluções disponíveis no mercado. Expedition, Closer SC e Verter SC são três importantes inseticidas que ajudarão no controle das principais pragas que afetam as culturas de soja, milho, algodão, arroz, citros e hortifrúti, como percevejos, moscas-brancas, pulgões e psilídeos.

Formulados a partir do ativo Isoclast, pertencem ao novo grupo químico Sulfoxaminas, que possui um modo de ação diferenciado, ajudando os produtores no controle da resistência aos produtos já disponíveis no mercado. Além disso, serão importantes ferramentas para o manejo integrado de pragas (MIP).

Entre as principais características dos novos produtos, destacam-se a ação de choque, proteção imediata da cultura e longo período de controle. O produto é seletivo para inimigos naturais, não desequilibra os ácaros e usa baixas doses por hectare.

A pesquisadora Cristiane Müller esclarece que o princípio ativo já está aprovado em mais de 80 países, a exemplo do Canadá, Austrália, Japão, Índia, China, União Europeia e Argentina. Todas as tecnologias da Corteva contam com orientações sobre sua correta utilização, além de passarem por rigorosos testes antes de serem aprovados pelos órgãos regulatórios.

“Os agricultores esperavam esses produtos, pois há muitos anos não eram lançadas soluções para o controle dessas pragas. Investir continuamente em novas tecnologias essenciais para o produtor rural faz parte do compromisso da Corteva em enriquecer a vida daqueles que produzem e consomem, garantindo o progresso das próximas gerações”, acrescenta o executivo Douglas Ribeiro, líder de Marketing da Corteva para Brasil e Paraguai. Ele também conversou com jornalistas, durante coletiva convocada para o lançamento dos produtos.

Sobre os inseticidas

Expedition: importante ferramenta para o manejo integrado de pragas, proteção do canivetinho da soja e do estande de milho (produtividade do agricultor). Atua no controle do percevejo nas culturas de soja, milho e arroz.

Closer SC: ferramenta para o manejo integrado de pragas (MIP). Atua no controle de pulgões na cultura do algodão.

Verter SC: inseticida com registro para citros, tomate, melão e melancia e atuará no controle de pulgões, mosca-branca e psilídeo.

Moacir Neto, o repórter viajou a Campinas (SP) a convite da Corteva/Com informações da Corteva Agriscience

Related Articles