Goiânia

Concluídas as obras da trincheira da 90

Durante os próximos dias, o pavimento passará pelo processo de cura do concreto. A Prefeitura espera contar com a presença do presidente da Caixa Econômica Federal para a inauguração

A Prefeitura de Goiânia está concluindo hoje, 30, as obras de construção da trincheira da Rua 90, no cruzamento com a Avenida 136, no Setor Sul. Foram 244 dias de trabalho intenso para entregar a Goiânia uma obra fundamental para melhorar a mobilidade urbana das regiões Central e Sul da cidade.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, a Prefeitura está aguardando agenda do presidente da Caixa Econômica Federal para a inauguração da trincheira, com a liberação da pista para o tráfego de veículos. Até lá, o pavimento passará pelo processo de cura do concreto.

“O BRT é uma obra financiada pelo FGTS, com contrapartida da Prefeitura de Goiânia, e o presidente da Caixa Econômica Federal demonstrou interesse em vir para a inauguração, estamos aguardando a confirmação dele para agendar, o que deve acontecer na próxima semana”, disse o secretário, em entrevista à imprensa na manhã desse sábado.

Parte do sistema BRT, a trincheira da 90 se completa com dois viadutos na Avenida 136, construídos em concreto protendido, técnica que evita fissuras e reduz a um mínimo a possibilidade de corrosão do aço e da deterioração do concreto, além de oferecer à estrutura uma maior capacidade para suportar cargas móveis, choque e vibração.

A trincheira possui 350 m de comprimento, 7,20 m de profundidade, 18 m de largura da plataforma e aproximadamente 4.000 m² de paredes em placas de concreto pré-moldado com pintura antipichação. A construção consumiu 2.800 m³ de concreto e aproximadamente 315 toneladas de perfis metálicos. Todo o projeto foi executado pelo valor inicial de R$ 10 milhões e contou com mão de obra de cerca de 450 trabalhadores.

Junto com as obras viárias, foi feita a revitalização de toda a via, desde a Praça do Cruzeiro até a Rua 115, com a adequação da iluminação dentro da rotatória, embaixo da trincheira e nas laterais externas da pista, acrescentando 21 novas luminárias no trecho, com lâmpadas Led de 400 watts de luminosidade.

O projeto das calçadas atende às normas de acessibilidade e nesse espaço – entre a Rua 115 e a Praça do Cruzeiro – foram construídos 4.410 m² de calçadas.

E o paisagismo recebeu 300 mudas de jerivá e aproximadamente 5.000 m² de grama esmeralda, nas laterais do pavimento central, nas calçadas e na praça da trincheira.

O que fica é o contentamento

A construção da trincheira gerou expectativas, desde o início, por parte de moradores e lojistas da região. É o caso do empresário Agenor Braga, da Época Decorações, que está na Rua 90 há 18 anos e acompanhou cada passo da obra e a evolução dos serviços. “Uma coisa que achei bom é que a obra foi feita no prazo correto, prometido, foi uma obra ágil, em vários lugares a obra começa e não termina, aqui começou e terminou no prazo correto, a prefeitura tem nos atendido, por exemplo, ia fechar rua, porque tinha de mexer na calçada, mexer no asfalto, então, eles avisavam antes, ajudava a fazer o desvio, deixava colocar placa, então, foi uma obra que conseguiu progredir sem tantos transtornos, sem impedir o comércio de funcionar, então foi muito positivo”, testemunha.

Quem também testemunhou de perto cada movimento na obra foi Renata Fernandes, proprietária da M Metais, que está na Rua 90 há 20 anos. Ela diz que, no início, ficou assustada e chegou a ter medo de não sobreviver ao processo, agora, com a conclusão dos serviços, questiona e confessa: “Como fazer uma obra desse porte sem transtornos? Mas sinceramente o que fica é o contentamento em ver profissionalismo e respeito ao cidadão acima de qualquer outra coisa. Pedimos reunião com o prefeito e fomos atendidos, mais de uma vez. Impossível fazer omelete sem quebrar ovos, mas com que precisão cirúrgica e com que delicadeza a obra foi conduzida!”.

Com várias empresas em volta da Praça, o empresário Eduardo Racy endossa o sentimento dos vizinhos. “Eu acho que não só a obra em si, que é bacana pra caramba e melhorou muito a região, mas a relação que nós tivemos com a Prefeitura e com a construtora é uma relação exemplar que devia servir de modelo para as próximas obras, com total interação, todos os interesses da gente foram atendidos. Inicialmente a gente estava receoso, a vizinhança toda receosa e hoje praticamente formamos um grupo de amigos”, declara.

Raio X

• Início: 1 de abril de 2019

• Conclusão das obras civis: 30 de novembro 2019

• Liberação do viaduto 2 para o tráfego: 5 de setembro de 2019

• Liberação do viaduto 1 para o tráfego: 13 de novembro de 2019

• Liberação da trincheira para o tráfego: 7 de dezembro de 2019

• Trincheira: 350 m de comprimento, 7,20 m de profundidade máxima, e 18 m de largura

da plataforma

• Número de operários na obra: 450 pessoas

• Concreto: 2.800 m³ na trincheira

• Fornecimento e cravação de aproximadamente 315 toneladas de perfis metálicos

• Aproximadamente 4.000 m² de paredes em placas de concreto pré-moldado com pintura antipichação

• Paisagismo: 300 mudas de jerivás e aproximadamente 5.000 m² de grama esmeralda, nas calçadas, laterais do pavimento central e na praça da trincheira

• Iluminação Led: Mais 21 luminárias, entre a Praça do Cruzeiro e a trincheira com lâmpadas de 400 watts

• Calçadas acessíveis: 4.410 m², entre a Rua 115 e a Praça do Cruzeiro

• Valor total da Obra: R$ 10 Milhões a preço inicial

Nara Serra, da editoria de Infraestrutura

Fotos: Paulo José

Related Articles