Estado

Inaugurada sede do Grupo Especial de Combate à Corrupção

E os primeiros resultados já foram apresentados. Na ocasião, foi também foi lançado o Disque 181, canal anônimo voltado à população que queira formalizar denúncias envolvendo corrupção no Estado

“Há cerca de dois anos, eu trabalhava em uma delegacia aqui em Goiás e me deparei com algumas portas fechadas no combate à corrupção. Não tive alternativa, a não ser cessar o meu trabalho.” Foi lembrando a dificuldade que enfrentou na gestão passada, tendência nos últimos 20 anos, que o delegado Rômulo Figueiredo de Matos apresentou, na última quinta-feira, dia 07, a sede do Grupo Especial de Combate à Corrupção (Geccor). Criado em maio pelo governador Ronaldo Caiado, esse braço da Polícia Civil atua numa linha específica que antes não tinha espaço em Goiás.

Agora é diferente. “Há um clamor social pelo combate à corrupção. E o senhor, governador, ao nos dar essa autonomia, demonstra o compromisso com a verdade e com a justiça. Essa porta que se abre é a comprovação de que o Governo de Goiás está comprometido com a sociedade goiana”, frisou o delegado Rômulo, hoje chefe do Geccor. A nova estrutura da Polícia Civil fica no Setor Aeroviário, em frente à Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), na capital goiana.

A primeira grande operação do Geccor teve os detalhes apresentados nesta tarde. Trata-se da apuração de uma série de crimes praticados no Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) entre 2014 e 2015. Os prejuízos aos cofres públicos ultrapassam a marca de R$ 100 milhões. Sete pessoas foram presas na operação, intitulada Cegueira Deliberada. “A corrupção se alastrou de tal maneira que se assemelha ao câncer. A corrupção e o corrupto são insaciáveis. [Agora, o que faremos] é recompor, reconstruir, consolidar o que é figura do Estado”, garantiu Caiado.

Delegado-geral da Polícia Civil, Odair José Soares traçou um paralelo entre o passado e o presente para comprovar o quanto a atual gestão está dando liberdade ao trabalho investigativo das forças policiais. Lembrou que, ainda em 2015, ele tentou trabalhar nesse mesmo inquérito envolvendo o Detran-GO. “Quando se tentou levar para frente, tive até que sair do Estado”, revelou. “Agora há um ambiente em que o governo prioriza transparência, que não tem temor, que encara de frente a criminalidade”, disse ao chamar atenção aos números da operação.

O governador Ronaldo Caiado reforçou que toda essa liberdade profissional concedida às forças policiais nos primeiros meses de governo é uma marca de sua gestão – e que vai continuar assim até o seu último dia à frente do Executivo. E avaliou que tal conduta, tão necessária para as diligências policiais, foi decisiva para a redução dos índices de criminalidade. “O ponto alto do governo Ronaldo Caiado tem sido exatamente a Segurança Pública. É o que mais avançou nos primeiros meses de governo”, constatou.

Já o titular da SSP-GO, Rodney Miranda, destacou que o trabalho integrado a outras esferas do poder público é essencial na obtenção dos resultados. No caso do Geccor, há uma atuação em parceria com a Controladoria-Geral do Estado (CGE), Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) e apoio técnico da Superintendência de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado. “Essa é a primeira de uma série de operações que vão se desenhar no Geccor”, salientou.

Disque 181

Além do lançamento da sede do Geccor, o Governo de Goiás lançou uma ferramenta que envolve toda a população diretamente no combate à corrupção. Trata-se do Disque 181. Com apenas uma ligação telefônica, qualquer pessoa pode oferecer denúncia anônima sobre casos de corrupção. “Esse canal, de absoluto sigilo, é uma garantia para quem puder nos ajudar”, informou Rodney.

Caiado fez um apelo para que o povo goiano ajude a combater esse crime, que criou raízes em Goiás ao longo dos últimos anos. “O governador sozinho não dá conta de governar o Estado. E o servidor público, se não tiver o apoio da população, não vai mostrar resultado. Então isso aqui é um momento de goianidade, suprapartidária, em que todos nós estamos imbuídos em dar segurança pública ao nosso povo.”

Para dar mais eficiência ao trabalho do Geccor, o delegado Rômulo explicou que as denúncias recebidas passarão por uma espécie de filtro, de acordo com a relevância. “Temos outras delegacias que também apuram crimes contra a administração pública. E aqueles casos que apresentarem o maior relevo serão investigados pelo Geccor”, disse. O Grupo Especial de Combate à Corrupção conta com cinco delegados e suas respectivas equipes.

Participaram do evento os secretários Henrique Ziller (CGE), Anderson Máximo (Casa Civil), Valéria Torres (Comunicação), Rafael Rahif (Esporte), Edival Lourenço (Cultura); o comandante-geral da PM, coronel Renato Brum dos Santos; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Dewislon Adelino Mateus; o diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Wellington Urzêda; o presidente do Detran, Marcos Roberto Silva; o deputado estadual Eduardo Prado; os superintendentes Marcos Egberto (Polícia Técnico Científica), Wellington Bessa (Procon Goiás), Vinícius Ney (Polícia Judiciária); o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Paulo Sérgio Alves; além de delegados, agentes, escrivães, papiloscopistas, bombeiros, policiais civis e militares.

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Related Articles