Aparecida de Goiânia

No Dia do Médico, Aparecida enaltece o trabalho desses profissionais que salvam vidas

Hoje, 18 de outubro, é o Dia do Médico, o profissional responsável por promover e proteger a saúde das pessoas desde a prevenção às doenças até nas emergências. Em Aparecida de Goiânia, o prefeito Gustavo Mendanha e o secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães, além de gestores do setor, aproveitam a ocasião para enaltecer a profissão e agradecer às mulheres e homens que se dedicam, com esforço, estudo e amor à vida, a zelar pelo bem-estar da sociedade.

O prefeito Gustavo ressalta a gratidão que ele sente, como aparecidense e chefe do Executivo Municipal, pelos profissionais da medicina que trabalham em Aparecida: “Eu amo essa cidade e luto por ela e por nossa gente com todas as minhas forças. Agradeço, com imenso carinho, a cada médico e médica que estão, 24h por dia e em todos os dias do ano, em nosso município, cuidando das pessoas de todas as idades e salvando vidas. Neste exato momento, há heróis anônimos da medicina, auxiliados por outros heróis das categorias que compõe a rede, salvando vidas. Em nome da Prefeitura, estendo meu abraço, minha admiração e respeito a esses profissionais.”

Medicina com ciência e empatia

O secretário de Saúde Alessandro Magalhães enfatiza que “a implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) no País, que traz em sua essência os princípios da universalidade, equidade e integralidade na assistência prestada à população, foi uma conquista importantíssima. Dentre os profissionais que são indispensáveis para o Sistema, quero homenagear hoje médicas e médicos que, apesar dos limites e incertezas do processo de prevenir, cuidar e curar males, trabalham para aliviar o sofrimento das pessoas. Muitas vezes, lidam com pacientes fragilizados pelo adoecimento e que, para além da atenção especializada e científica, precisam de uma mão amiga, uma voz consoladora e o apoio que só um profissional humanista pode dar. Um atendimento só pode ser considerado de excelência, mesmo quando prestado sob condições adversas, se houver o componente da sensibilidade e da empatia humanas. Nesse sentido, afirmo que, na Secretaria de Saúde de Aparecida (SMS), contamos com a dedicação de mulheres e homens da medicina que dão o melhor de si, todos os dias, para atender bem às pessoas.”

O superintendente de Atenção à Saúde, Gustavo Assunção, informa que atuam na SMS 678 médicos, dentre especialistas e clínicos gerais. Esses profissionais trabalham em locais como o Ambulatório Municipal (AMAG), os Cais Colina Azul e Nova Era, os quatro Centros de Atenção Psicossocial (Caps), os Centros Clínico Municipal, de Atendimento Ambulatorial, de Diagnósticos e Especialidades, o Centro de Saúde Papillon Park, o Consultório na Rua, o Hospital Municipal (HMAP), a Maternidade Marlene Teixeira, os Serviços de Atenção Domiciliar (SAD) e de Assistência Especializada (SAE), o SAMU, as 40 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e as 3 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

O superintendente reforça que a Atenção Primária à Saúde (APS) é a base do SUS, o setor no qual as doenças mais frequentes (Como hipertensão e diabetes, dentre outras) são tratadas e acompanhadas. Por isso, segundo ele, a APS tem o potencial de resolver cerca de até 80% dos problemas de saúde da população, desafogando e evitando urgências e emergências. “A rede precisa de uma atenção básica e de atendimentos especializados eficientes e de urgências e emergências preparadas e ao alcance das pessoas. Um setor depende e auxilia o outro e, nesse universo, em Aparecida, nossos médicos têm desempenhado seu papel com competência e dedicação. Eu os parabenizo por isso e agradeço por essa união de forças em prol da comunidade”, salienta Gustavo Assunção.

Cuidar do presente e do futuro

Já a diretora de Urgências da SMS, Amanda Melo, frisa que a medicina é uma profissão que depende de incorporação tecnológica, mas, sobretudo, encontra seu ápice na sensibilidade e na determinação dos profissionais que a exercem. “Vemos, em nossa rotina de trabalho, médicas e médicos em Aparecida que vão além do conhecimento técnico e dos avanços científicos usando a criatividade, a coragem, o amor e a persistência, características humanas que as máquinas não reproduzem e que são fundamentais para a interação com os pacientes e o sucesso dos procedimentos e tratamentos. É por isso e muito mais que parabenizo essa categoria que nos ajuda a cuidar da comunidade e que está aí salvando vidas no presente e trabalhando na prevenção e na conscientização por um futuro mais saudável e seguro para as pessoas”, relata.

Dia do Médico

O 18 de outubro foi escolhido como o Dia do Médico em homenagem a São Lucas, o “amado médico”, segundo o apóstolo Paulo. Lucas era sírio, da cidade de Antioquia, e teria estudado também pintura e história, além da medicina. Considerado o padroeiro da profissão, foi um dos quatro evangelistas do Novo Testamento, viveu solteiro e sem filhos e faleceu aos 84 anos de idade.

Fonte: Polliana Martins

Related Articles