ArtigoReligião

A Obra de Restauração no vida do homem

Pra :Elizangela dos Santos Silva

I – O culto a Baal (senhor da vida – deus cananeu) teve sua maior difusão em Israel durante o reinado de Acabe, através de sua mulher Jezabel, que empreendeu dura perseguição aos profetas do Senhor, matando-os e estabelecendo 450 profetas que promoveram em todo o Israel a adoração a Baal, que era representado por diversas formas e nomes.


O único profeta do Senhor que conseguiu escapar da perseguição foi Elias, o tesbita.
A situação espiritual de Israel naquele tempo é a mesma do mundo de hoje.
O culto a toda sorte de ídolos é comum na vida de muitos.
Cada pessoa adota um deus segundo a sua conveniência, e há aqueles que querem servir ao Senhor de forma mista – como Israel fazia naquela ocasião. (Mt 16:13).

II – Elias se apresentou ao rei Acabe e mandou que ele convocasse todo o povo e os profetas de Baal para que subissem ao monte Carmelo, a fim de fazerem uma prova para saberem quem era verdadeiramente Deus, se Baal ou o Senhor.
A prova consistia em preparar dois bezerros em holocausto, um a Baal e outro ao Senhor.
Aquele que respondesse com fogo, aceitando o holocausto, era o Deus verdadeiro.
Todo o povo concordou unanimemente com o desafio e se ajuntou no monte Carmelo.
Os profetas de Baal prepararam seu sacrifício e invocaram seu nome até o meio-dia, mas nenhuma resposta veio.
Então Elias chamou o povo para que se chegasse a ele, e o povo se chegou.
Depois Elias começou a preparar a “restauração do altar do Senhor que estava quebrado”…
O altar (lugar alto) representa o lugar de adoração ao Senhor.
Ele aponta para nossa vida, para nosso coração, que foi criado para o louvor do Senhor, mas que está quebrado por causa do pecado e da desobediência.
Outros deuses têm se estabelecido quando o altar do Senhor está em ruínas.
O Senhor Jesus se manifestou na forma humana para restaurar a nossa vida (o altar de Deus) e depois disso Ele lançou o convite: “Vinde a mim vós que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei…” (Mt 11:28).

O procedimento de Elias ao restaurar o altar do Senhor, mostrou aos israelitas a sua própria necessidade de restauração diante do Senhor, sua volta à verdadeira adoração e a destruição dos ídolos.
Também aponta em todos os seus detalhes, para a obra que o Senhor Jesus realizou por nós, para nos restaurar espiritualmente e nos conduzir à verdadeira adoração ao Pai ( Jo 4:23 e 24 ).

1. DOZE PEDRAS – Representam as doze tribos de Israel, o povo de propriedade do Senhor no Velho Testamento (Josué 4: 4 – 7) e a Igreja do Senhor Jesus no Novo Testamento (1Pe 2:5 e Ap 21:14).
Elias construiu o altar com doze pedras para mostrar ao povo de Israel a sua propriedade e o direito que o Senhor tinha sobre o seu povo, elas eram o memorial que o Senhor tinha estabelecido para lembrar a sua Aliança e a sua fidelidade com Israel.
Em relação à igreja o Senhor tem o mesmo propósito e a mesma aliança (Jo 15: 16).

2. O REGO – Aponta para a separação do mundo, para a santificação e consagração ao Senhor.
Deus requer do seu povo exclusividade (Ap 18: 4).
Ele não aceita duplicidade no servir (Lc 16: 13).
O limite é a comunhão com sua Palavra (duas medidas de semente).

3. A LENHA – Tipifica a natureza do homem que precisa ser consumida pelo fogo do Espírito no altar, isto é, no serviço ao Senhor.
Quando o homem se consagra e se entrega no serviço do Senhor, ele é como lenha que queima o sacrifício em adoração ao Pai (Lv 6: 12 e 13).
O Senhor requer a entrega total do nosso ser na realização da sua Obra (Rm 6: 19).

4. O NOVILHO – É o Senhor Jesus, que foi sacrificado por nós para que pudéssemos ser restaurados e aceitos pelo Pai.
Ele tomou o nosso lugar sobre o madeiro (Gn 22 :8) e se tornou a propiciação pêlos nosso pecados (1Jo 2: 2).

5. QUATRO CÂNTAROS D’ÁGUA – Representam os quatro Evangelhos, mostrando o cumprimento das profecias e da Lei na vida do Senhor Jesus.
São a base da doutrina sobre a qual a igreja seria edificada (Mt 16: 18).
A água representa a Palavra que purifica e refrigera o homem dos seus males e pecados (Jo 15: 3).

6. TRES VEZES – Presença da Trindade para confirmar a Palavra (1Jo 5: 7 e 8).
Ver também Mt 3: 16 e 17.

7. A RESPOSTA COM FOGO – Aponta para o Batismo com o Espírito Santo, para transformar o homem e selar a Obra em sua vida.
Ele é o sinal e o penhor da herança de Deus para o servo (Ef 1: 13 e 14), indicando que o Senhor o aceita como filho.
Também aponta para o arrebatamento da igreja, que acontecerá quando ela cumprir toda a vontade do Senhor.

OBSERVAÇÃO – O sangue do novilho, apesar de não ser mencionado, não pode ser esquecido, pois foi derramado sobre a lenha, o altar de pedras, e escorreu até o rego, misturando-se com a água, mostrando que o clamor pelo sangue de Jesus está em tudo na Obra de Deus na vida do homem.

Related Articles

Check Also

Close