Goiânia

Dia das Crianças: Procon Goiânia divulga pesquisa

Variações de preços vão de 74% a 131%. Brinquedo que obteve a maior diferença foi a boneca. Veja orientações e a pesquisa completa

A Prefeitura de Goiânia, por meio do Procon municipal, realizou entre os dias 23 a 30 de setembro pesquisa de preços com brinquedos em seis estabelecimentos da capital e concluiu que a boneca é o brinquedo com maior variação de preço. Ao todo foram pesquisados 27 produtos em lojas de brinquedos, supermercados e shoppings.

Produtos como uma boneca pequena, famosa e querida pelas meninas, podem ser encontrados com valores entre R$ 64,89  a R$ 149,99, uma variação de 131%. Outra disparidade de preços também está nos jogos de tabuleiros. O Banco Imobiliário, por exemplo, foi encontrado por R$ 74,61 até R$ 129,99, uma diferença de 74%.

Já as bicicletas podem ir de R$ 499,90 até 599,99.  A média de preços dos eletrônicos (Xbox e Playstation)  está entre 1.499,99 e 2.199,99. A pesquisa também traz múltiplas opções para crianças que gostam dos brinquedos de personagem (filme e/ou desenho). O personagem Homem-Aranha foi encontrado por preços entre R$ 268,90 e R$ 269,99: portanto, praticamente sem variação.

O superintendente do Procon Goiânia, Walter Silva, recomenda a importância do consumidor realizar a pesquisa de preços. “Existe uma grande variação no mercado. Têm empresas que cobram bem acima  de outras. A pesquisa de preços proporciona a identificar o preço do produto que está sendo comercializado de maneira mais cômoda para o cidadão. Há diferença de uma loja dentro de um shopping e uma loja fora do shopping. Isso tudo influencia no preço que é embutido na compra  que o consumidor realiza ”, argumenta.

O Procon Goiânia também orienta ao consumidor observar o selo do Inmetro. Observe com atenção as informações obrigatórias na embalagem dos produtos. Entre as mais importantes estão as características: faixa etária a que se destina; identificação do fabricante (nome, CNPJ, endereço, importador).

O órgão ressalta que o consumidor não faça compras por impulso e observe o orçamento familiar para evitar o endividamento com compras a prazos e com juros a pouco mais de dois meses do Nata. “Evite levar os filhos aos estabelecimentos para comprar o presente. Muitos pais são influenciados pelas crianças na hora de escolher os brinquedos e, muitas vezes, agindo por impulso, compram desnecessariamente, o que pode vir a comprometer o orçamento familiar”, explica Walter Silva.

É importante lembrar que a venda de brinquedos se sujeita ao Código de Defesa do Consumidor (CDC) e a embalagem dos produtos e o manual de instruções precisam informar a faixa etária a que se destina o brinquedo, eventuais riscos que apresente, número de peças, regras de montagem, modo de usar, se faz parte de uma série ou coleção e a clara identificação do fabricante ou do importador.

Orientações do Procon Goiânia

Troca

O comerciante não é obrigado a fazer a troca de produtos que não apresentem defeitos. Se adquiriu um brinquedo ou qualquer outro produto eletrônico, peça ao vendedor que coloque-o para funcionar na sua presença. Ficar atento se o presente não vai gerar novas despesas, como compra de pilhas e baterias. Os produtos importados estão cobertos pelas mesmas regras do Código de Defesa do Consumidor. Por isto, no ato da compra exija o manual de instruções (em português) e o certificado de garantia. A nota fiscal deve ser exigida e guardada. Ela é sua ferramenta para garantir que seus direitos de consumidor sejam respeitados.

Idade recomendada

Um brinquedo pode ser adequado para uma idade, mas perigoso para outra. É fundamental que o consumidor verifique as informações de idade e o nível de habilidade da criança na hora de escolher o brinquedo.

Partes pequenas e baterias botão

É bom evitar brinquedos que possuem partes muito pequenas, já que a criança pode engoli-las. Principalmente na chamada “fase oral”, que geralmente vai até os 4 anos, é comum a criança levar o brinquedo à boca. Isso pode provocar um engasgamento. Também é essencial deixar brinquedos e outros produtos com baterias botão (aquelas bem pequenas e finas) bem longe das crianças. Exemplos: brinquedos que possam causar cortes, pontiagudos, inflamáveis, movidos à energia elétrica, vidros perigosos, produtos químicos prejudiciais e outros.

Cuidado com cordas, tiras e correntes

É preciso analisar bastante se vale a pena comprar um brinquedo que tenha cordas, tiras, correntes ou similares, principalmente a partir dos 15 cm. Esses brinquedos podem causar estrangulamento em crianças.

Se o consumidor tiver problemas, deve procurar o Procon Goiânia que fica na Avenida Tocantins,191, Qd. 17 LT.27- Setor Central.  O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Confira aqui a pesquisa completa

Serviço

Operação “Brincar com segurança”

O Procon Goiânia inicia nesta terça-feira (8/10), a Operação  “Brincar com segurança”. O objetivo da ação é fiscalizar lojas e shoppings que vendem brinquedos na capital. Os fiscais do Procon vão verificar se os estabelecimentos possuem documentação necessária para seu funcionamento e se cumprem as determinações previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Anderson Clemente, da editoria de Defesa ao Consumidor

Related Articles