Goiânia

Primeiro trecho das obras da rede de drenagem entra na reta final

Com 80% dos serviços já concluídos, a Prefeitura cumpre o cronograma e primeiro trecho das obras na Avenida Goiás deverá ser entregue até o dia 15 de setembro

Após 45 dias, o primeiro trecho das obras na Avenida Goiás entra na reta final, com a conclusão da concretagem do corredor do BRT e o asfalto do pavimento flexível, sobre os tubos da rede de drenagem. Com 80% dos serviços concluídos, a expectativa é liberar o trânsito no cruzamento da Avenida Goiás com a Independência neste final de semana e todo o trecho, da Avenida Independência à Avenida Paranaíba, no dia 15 de setembro. Logo em seguida terá início o segundo trecho, que vai da Avenida Paranaíba até a Avenida Anhanguera.
Com a rede de drenagem, cuja extensão total é de 2,6 km, entre a Praça Cívica e a Rua 4, no Centro, a Prefeitura soluciona o problema de alagamentos e enchentes na região central de Goiânia
De acordo com o cronograma estabelecido, o prazo para conclusão da obra, no sentido Norte-Sul, que está sendo executado atualmente é dezembro deste ano e toda a rede na contramão da Avenida Goiás é agosto de 2020.
Na próxima etapa, o método executivo será mudado para aumentar a produtividade dos serviços, aproveitando tempo no processo de execução. Primeiro será feito o rebaixo da pista, em seguida o subleito (é uma etapa da terraplanagem), e com o subleito pronto, será executado o serviço de drenagem. Só então entrará na etapa de pavimentação.
Em relação ao trânsito, a estratégia continua, com interdição da pista para carros e pedestres, uma vez que o serviço acontece em toda a pista e são utilizadas máquinas pesadas durante toda a obra. A SMT já estuda as mudanças que acontecerão, entre as Avenidas Paranaíba e Anhanguera.
De acordo com o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, o ritmo das obras está seguindo o cronograma estabelecido e a mudança na estratégia para o próximo trecho possibilitará melhor aproveitamento do tempo de execução, tendo em vista ainda o período chuvoso. “Prevíamos de dois a três meses para entrega desse primeiro trecho e vamos entregar na primeira quinzena de setembro, ou seja, dentro do prazo, e com a mudança no processo, aproveitaremos melhor o tempo na execução dos serviços, tendo em vista também o início do período chuvoso, e cumpriremos o prazo de terminar essa pista no sentido Norte-Sul, no próximo mês de dezembro”, analisa.
 
Compensação ambiental
Para a construção das estações do BRT e das plataformas de embarque e desembarque dos ônibus comuns será necessária a retirada de cerca de 60 árvores da Avenida Goiás. A proposta já foi autorizada pelo Iphan e o Consórcio responsável pelas obras está concluindo a catalogação das árvores nos locais onde as bases serão construídas. O laudo especifica o número exato de árvores a serem retiradas, quais espécies e explica a motivação da retirada. O documento será encaminhado à AMMA para aprovação e emissão do termo de compensação ambiental.
O secretário Dolzonan Mattos assegura que só serão retiradas árvores dos locais onde serão construídas as estações e as plataformas. “O lema da prefeitura é preservar o meio ambiente e retiraremos apenas o número de árvores necessário para viabilizar a obra de mobilidade e compensaremos com novas espécies e novos pontos florísticos”, garante.
 
Requalificação
O orçamento para a execução das obras nesse trecho da Goiás até a Praça Cívica é de R$ 40,575 milhões, sendo: Drenagem: R$ 7,775 milhões; Pavimento Rígido: R$ 17,194 milhões; Pavimento Flexível: R$ 3,468 milhões; Obras complementares: R$ 10,178 milhões; e Estações: R$ 1,960 milhões.
Além da rede de drenagem e do BRT, as obras contemplam ainda a revitalização de toda a via, com substituição da iluminação por lâmpadas Led, sinalização horizontal, vertical e semafórica, com semáforos inteligentes e calçadas acessíveis e arborizadas.
 
Rede de drenagem
A rede de drenagem completa vai da Praça Cívica ao Setor Norte Ferroviário, os trabalhos de construção tiveram início em março e, por ser o trecho mais complexo, começaram pela Rua 4, no Setor Norte Ferroviário, onde se dará o lançamento no Capim Puba, de lá passará pela Avenida Oeste, no Setor Marechal Rondon, onde já está em construção também, seguirá em frente à Câmara Municipal e subirá a Avenida Goiás, cruzará a Avenida Independência e chegará até à Praça Cívica.
O projeto da rede é audacioso, com utilização de tubulação em Ribiloc (PVC), de 500 mm de diâmetro, na Praça Cívica (início), e de 1.600 mm de diâmetro (1,60 m), no Capim Puba, onde será o lançamento. A capacidade de vazão é de 10 mil litros de água por segundo.

Related Articles