Aparecida de Goiânia

Aparecida recebe estudo nacional sobre alimentação e nutrição infantil

O Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani), pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) encomendada pelo Ministério da Saúde, chega em Goiás para percorrer 1.230 domicílios em 11 cidades, até setembro. Aparecida de Goiânia é uma delas. O estudo promoverá visitas domiciliares para avaliar hábitos alimentares, peso e altura das criança de até cinco anos. Também serão realizados exames de sangue nos participantes com mais de seis meses de vida e o mapeamento sanguíneo de 12 micronutrientes e vitaminas do complexo B, além de investigadas informações sobre amamentação, doação de leite humano, consumo de suplementos de vitaminas e minerais, habilidades culinárias, ambiente alimentar e condições sociais da família.

O objetivo do estudo é obter dados inéditos sobre o crescimento e o desenvolvimento infantil para compor um retrato da nutrição infantil no Brasil, que possa subsidiar a elaboração de políticas públicas na área de saúde e nutrição no futuro. Segundo o coordenador nacional do Enani, Gilberto Kac, “Os dados poderão ajudar a responder, por exemplo, se a desnutrição está realmente diminuindo como um problema epidemiológico. Por outro lado, o estudo deverá corroborar a acertada definição do Ministério da Saúde em indicar a prevenção da obesidade com prioridade em sua agenda”.

Segurança

As visitas domiciliares do Enani são realizadas por pesquisadores de campo identificados com camisas e crachás contendo o nome e a fotografia do entrevistador, além do logotipo do Ministério da Saúde. Os dados informados são sigilosos e, em hipótese alguma, os nomes das crianças ou dos seus responsáveis serão identificados.

A participação dos indivíduos é voluntária. No início da pesquisa, o entrevistador explica todos os procedimentos e entrega aos participantes um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Esse documento informa sobre todos os detalhes do estudo e orienta como o selecionado pode entrar em contato com a central da pesquisa para tirar dúvidas, incluindo a opção gratuita de ligar para o número 0800-808-0990. A realização do estudo segue metodologia científica e foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da UFRJ. Fonte: Camila Godoy

Related Articles