EconomiaNacional

FieldView Experience: agricultores de Rio Verde conhecem mudanças na ferramenta

Eu não conseguiria adquirir todas as análises de que precisava para vencer os desafios. E tinha de aumentar a produtividade. Percebi, depois de adotar a Climate na propriedade, que houve melhorias, sobretudo na tomada de decisão”, diz o agricultor Paulo Kompier

Margens cada vez mais apertadas, sobretudo na hora da comercialização. Clima instável, com efeitos muitas vezes negativos na produção e também na produtividade, incertezas quanto ao uso de determinado defensivo ou até mesmo da qualidade das sementes. Essas e outras variáveis se tornam a cada ciclo de safra um fardo custoso sobre os ombros dos agricultores. Se bem analisadas e compreendidas, podem significar a ruptura com sucessivos fracassos nas lavouras. Feito o diagnóstico, a tecnologia entra como uma importante aliada do agricultor.

Foi o que fez há dois anos Paulo Kompier, do grupo que leva o mesmo nome. O agricultor se dedica às culturas de soja e milho, na região de Montividiu, interior goiano. Na propriedade, as soluções tecnológicas da Climate FieldView, braço de agricultura digital da Bayer, já começam a mostrar resultados bastante satisfatórios. E animadores, como conta ele, em conversa com a reportagem durante o evento da Climate, na tarde desta terça, 16, em Rio Verde (sudoeste goiano), ocasião em que foram anunciadas mudanças na ferramenta.

“Eu não conseguiria adquirir todas as análises de que precisava para vencer os desafios. E tinha de aumentar a produtividade. Percebi, depois de adotar a Climate na propriedade, que houve melhorias, sobretudo na tomada de decisão”, diz Kompier, ao recomendar o uso de, no máximo, duas plataformas, a que orienta em relação a níveis de produtividade e outra, em relação ao rastreamento de pragas.

“Tive uma imagem real da fazenda, inclusive achei áreas com defeito”, diz Kompier. E é exatamente isso que a tecnologia da Bayer propõe ao agricultor, ou seja, um mapa completo, computando desde as variáveis econômicas à indicação da melhor semente e até sobre o clima.

Com isso, as diversas decisões que o agricultor toma no dia a dia ficam na palma da mão, por meio de um drive. Ou seja, há a opção, por exemplo, de colher todo o talhão e depois comparar com o melhor híbrido, de um total de 60. Climate FieldView também possibilita ao agricultor selecionar, em ferramenta própria, a passada da plantadeira e ainda realizar as análises de produtividade dentro da cabine, fazendo o ranking dos híbridos. Ou seja, área, clima, solo, água, topografia, plantio, talhões, particularidades da colheita e ainda prescrições para plantio e fertilizantes, tudo isso reunido e armazenado em nuvem.

“FieldView é um aplicativo com informações agronômicas, um produto agronômico. Conecta todos os equipamentos e informações da máquina, gerando mapas em nuvem. E ainda oferece ao agricultor a opção para realizar múltiplos testes, já que ele extrai e manda informação ao iPad via Bluetooth, sem internet”, comenta o gerente de Produto, Guilherme Belardo. Ele completa, ao afirmar que “mais dados, representam melhores resultados”. “FieldView agrega dados que possibilitam ao agricultor melhorar a produtividade”, assegura Belardo.

 

Interatividade

O evento em Rio Verde levou aos agricultores uma maquete em 3D com interatividade holográfica mostrando como é a plataforma, além de uma mesa interativa, na qual foi possível ver como a Climate auxilia o agricultor, gerando relatórios e provendo informações em diferentes momentos da safra, do plantio à pulverização e colheita. Também puderam conferir que a plataforma de agricultura digital da Bayer é compatível com praticamente todas as marcas de máquinas presentes no mercado.

“Em dois anos no mercado brasileiro, já somamos 5 milhões de hectares mapeados. A Climate é compatível com máquinas e equipamentos de plantio, pulverização e colheita das principais marcas do mercado, como Case IH, Massey, New Holland, Valtra, John Deere e Stara”, diz o executivo Mateus Barros, líder de negócios da Climate para a América Latina.

A missão precípua da Climate é auxiliar os agricultores do mundo a aumentar, de modo sustentável, a produtividade por meio do uso de ferramentas digitais. Foi lançada nos Estados Unidos em 2015 e oferece aos produtores uma compreensão mais profunda de seus campos para que possam tomar decisões operacionais baseadas em informações concretas para otimizar a produção, maximizar a eficiência e reduzir possíveis riscos. A Climate está, hoje, em mais de 24 milhões de hectares nos Estados Unidos, Canadá, Brasil e Europa. (Por Moacir Neto viajou a Rio Verde (GO) a convite da Bayer)

Related Articles